quarta-feira, 6 de janeiro de 2016

Estudar é o maior ato de rebeldia que podemos ter

Poucos logotipos são tão fiéis ao que tentam representar como o do Resgate. São pessoinhas de mãos dadas. Elas não têm distinção de cor, gênero ou idade. No Resgate somos pessoas de todas as etnias, homens, mulheres, hétero e homossexuais, jovens de cara e de alma. O que nos une é esse espírito revolucionário e o amor que trazemos por nossos colegas combatentes.

O vestibular da UFRGS é no próximo domingo. Disseram que não era pra nós, mas somos guerreiras e guerreiros insistentes e não aprendemos a desistir. Ao longo do ano,enfrentamos muitos desafios, mas estamos aqui, prontos para a luta. E se em algum momento o medo insistir em aparecer, desenharemos no canto da prova aquelas três pessoinhas, nos recordaremos do rosto de cada colega que esteve conosco durante o ano e nos lembraremos que não estamos sozinhas e sozinhos nessa luta.

Quando nascemos fazendo parte do polo mais frágil de um sistema opressor, ser estudiosa e estudioso é o maior ato de rebeldia que podemos ter. O conhecimento é libertador e tem a capacidade de fazer evoluir o indivíduo e o coletivo, além de nos permitir desconstruir preconceitos e vícios. Convenhamos que é difícil  acreditar que uma sociedade justa e igualitária possa ser construída por um povo preso a intolerâncias e a medos. A educação nos possibilita mudar a forma como enxergamos o mundo, mas é bom deixar claro que não estamos falando de qualquer educação.

Infelizmente, o modelo que, hegemonicamente, vem sendo praticado nas escolas brasileiras obedece à ideologia liberal. Vista pelo viés econômico, ela trabalha a partir de uma lógica de formação de capital humano. Estudantes são moldados para atender às competências necessárias à empregabilidade. Resumindo: a aluna e o aluno são tratados como uma mercadoria em potencial para que, no futuro, satisfaçam as demandas do mercado de trabalho.

Contrariando esta lógica, o Resgate Popular, há mais de 13 anos, segue sendo um espaço de resistência, que luta pela democratização do ensino superior, pela emancipação das classes populares e pelo fim de todas as relações de opressão e de abuso.
Nós do Resgate acreditamos que a educação é o combustível das grandes revoluções, mas, para que seja de fato transformadora, ela deve ser pensada a partir de uma lógica popular.


Caleu Nunes | Núcleo de Comunicação

Nenhum comentário:

Postar um comentário